Brasil leva gol aos 28s, para no México e tem sonho dourado frustrado

O sonho da medalha de ouro em Jogos Olímpicos, inédita para o futebol brasileiro, acabou adiado por pelo menos mais quatro anos. Na tarde deste sábado, no tradicional Estádio de Wembley, a Seleção fracassou novamente ao tentar o único título que falta para a galeria da modalidade no País. Derrota por 2 a 1 para o México e nova medalha de prata no evento. O camisa 9 Oribe Peralta, por duas vezes, foi o responsável por consagrar os mexicanos. Hulk, nos descontos, ainda promoveu uma pequena dose de esperança à torcida.

 A obsessão do futebol brasileiro de conquistar o ouro olímpico, assim, termina pela terceira vez em uma decisão. Antes da queda em Londres 2012, o Brasil havia sido medalhista de prata em Los Angeles 1984, quando perdeu por 2 a 0 para a França, e em Seul 1988, depois de derrota para a União Soviética pelo placar de 2 a 1. O País acabou com o bronze em Atlanta 1996 e Pequim 2008.

O sonho da conquista inédita começou de maneira surpreendente e tensa para a Seleção Brasileira. A equipe mexicana pressionou a saída de bola do time de Mano Menezes e conseguiu calar a torcida verde-amarela com apenas 28s de partida. Rafael telegrafou o passe para Sandro, que não conseguiu impedir a antecipação de Aquino. A bola sobrou para Peralta arrematar da entrada da área e abrir o marcador no duelo.

 O tento anotado do time mexicano abalou a Seleção Brasileira em campo. A equipe de Mano Menezes não encontrou o ritmo necessário para trabalhar a bola e impedir a movimentação rápida dos mexicanos. Somente depois da metade da etapa inicial, o Brasil controlou o nervosismo e passou a trabalhar a bola, mas sem nenhuma eficiência ofensiva.

Pessimamente postada no meio-campo, especialmente pela indecisão de Alex Sandro em relação à posição que deveria ocupar no jogo, a equipe precisou de uma alteração ainda na primeira etapa para se acertar. Mano Menezes tirou o lateral/meio-campista para promover a entrada de Hulk, antigo titular que perdeu a posição durante os Jogos Olímpicos.

A entrada do atacante do Porto rapidamente mudou a postura da Seleção Brasileira em campo. Com três atacantes de ofício (Hulk, Leandro Damião e Neymar), o time de Mano Menezes agrediu a defesa rival e criou duas grandes oportunidades para igualar o marcador. Na primeira, aos 36min, Marcelo descolou um lindo passe para Oscar, que cruzou na direção de Leandro Damião. A defesa mexicana, atenta, cortou o lance na pequena área.

Poucos minutos depois, Hulk, visivelmente motivado a recuperar o prestígio junto ao treinador, obrigou Corona a trabalhar pela primeira vez na partida. Aos 38min, o atacante arriscou uma bomba, ainda da intermediária, e obrigou o goleiro mexicano a praticar uma grande defesa. No rebote, Leandro Damião ainda dividiu com o rival.

O ritmo agressivo e ofensivo da Seleção Brasileira se manteve no campo de ataque pressionando a defesa mexicana. Logo aos 3min, Neymar recebeu passe de Oscar, arrancou e chutou de longe. A bola passou rente ao travessão do goleiro Corona, que apenas acompanhou a trajetória do arremate para garantir. Foi o primeiro grande lance de um até então apagado camisa 11.

 Embora melhor do que o rival em campo, o Brasil por pouco não viu a recuperação em campo se tornar impossível. Depois de longo lançamento, Fabián venceu disputa com Thiago Silva, passou por Gabriel e arrematou por cobertura. Para sorte do goleiro Gabriel e do time de Mano Menezes, a bola carimbou o travessão. Já aos 24min, Peralta balançou as redes, mas acabou flagrado em impedimento.

A pressão inicial, aos poucos diminuiu. O México, por outro lado, cresceu em campo e definiu o marcador aos 30min. Após escanteio cobrado pela direita, Peralta, grande algoz do Brasil neste sábado, subiu sozinho dentro da área e tocou de cabeça para as redes de Gabriel. Tento que encerrou o sonho dourado da Seleção Brasileira e provocou até brigas internas no time, como a protagonizada por Rafael e Juan. Nos acréscimos, Hulk ainda descontou o marcador. 

FICHA TÉCNICA
BRASIL 1 x 2 MÉXICO
Gols:
BRASIL: Hulk, aos 46min do 2º tempo
MÉXICO: Peralta, aos 28s do primeiro tempo e aos 30min do 2º tempo
BRASIL: Gabriel; Rafael (Lucas), Thiago Silva, Juan e Marcelo; Sandro (Alexandre Pato), Rômulo e Oscar; Neymar, Leandro Damião e Alex Sandro (Hulk).
Técnico: Mano Menezes.
MÉXICO: Jose Corona; Jiménez (Vidrio), Mier, Rayes e Chávez; Salcido, Enríquez, Herreira, Fabián e Aquino (Miguel Ponce); Peralta (Jimenez).
Técnico: Luis Fernando Tena.
Cartões Amarelos
BRASIL: Marcelo e Leandro Damião
MÉXICO: Reyes, Jiménez e Vidrio
Árbitro
Mark Clattenburg (Grã-Bretanha)
Local
Estádio de Wembley, em Londres (Reino Unido)

0 comentários:

Postar um comentário